Constante Mutação

Texto: Marcio Jumpei / Fotos: Divulgação

 

O novo Jeep Renegade chegou. E veio com a missão de agitar o mercado como ele próprio fez quando lançado em 2014. É uma missão dura por sinal. Na estreia, o Renegade tinha cinco concorrentes para enfrentar, atualmente são quatorze. Mas ao que tudo indica, ele ainda tem fôlego. Pelos números da Stellantis, o Renegade detém 11% do mercado de SUV no Brasil e foi o 3º carro de passeio mais vendido no país em 2021.O novo Renegade chega em quatro versões, as Sport (R$ 123.990,00) e Longitude (R$ 138.990,00) com tração 4×2 e a S e Trailhawk (ambas a partir de R$ 163.290,00) com tração 4×4. Agora esse Jeep é o único com tração total e motor flex oferecido na categoria. Curioso que com as novas regras, com limite de preço de R$ 200.000,00 todas as versões do Renegade agora podem ser oferecidas ao segmento PCD. Além do comprador ter as isenções de impostos, pode ter ainda um desconto extra de 8% pelo modo de compra direta. A grande novidade, a motorização, aborda dois aspectos. O Renegade recebe o quatro cilindros turbo flex de 1.332cc de 180/185cv a 5.750rpm e torque máximo de 27,5kgf.m a 1.750rpm com qualquer combustível, tudo gerenciado por um câmbio de 6 marchas nas versões 4×2 e um novo de 9 marchas nas versões 4×4. A motorização diesel foi então excluída para o Renegade. O motivo de abrir mão do diesel está relacionado com as vendas na versão anterior. Enquanto que no Compass e no Commander esse tipo de motor responde de 30 a 40% nas vendas, no Renegade, apesar de ter sido a grande novidade na época em que esse carro chegou ao Brasil, ele estava respondendo por apenas 8% das vendas. Boa parte disso estava no seu alto preço, muito motivado pela tributação maior. Com isso a versão Trailhawk, por exemplo, topo de linha e que antes só estava disponível com motor diesel, agora com motor flex, chega a custar R$ 20 mil a menos. É uma estratégia, como a Jeep comenta, de democratizar o 4×4. Nessa configuração ele recebeu cinco modos de condução sendo uma delas a Rock, para ser usada em pisos com muitas pedras (e melhor ainda em declives acentuados com a ajuda do modo de controle automático de velocidade e tração) é exclusiva da Trailhawk. O novo motor flex tem basicamente a mesma estrutura usada no Compass e Commander, mas com especificações diferente para adaptá-lo ao irmão menor. Como na geração anterior os motores flex 1.8 entregavam 130/132cv e a diesel 170cv, com o novo conjunto o Renegade deve deixar para trás a imagem de ser um carrinho lento. Principalmente na diesel, a impressão é que ele tinha bom torque, mas faltava fôlego para ir adiante, logo depois de uma boa largada. Mecanicamente ele recebeu ajustes na suspensão para melhorar a performance no fora de estrada. São várias as opções de rodas, se na Sport de entrada o diâmetro é de 17” na versão nova série S o conjunto tem 19”. O carro ganhou sistemas de auxílio à condução como a de centralização de faixas, a aplicação de freio em emergência, comutação automática dos faróis para não ofuscar outros em veículos passando em sentido contrário e aviso de tráfego cruzado na traseira. Esteticamente ele recebeu alguns acertos de na parte frontal com para-choque mais largo e a grade levada alguns centímetros e os faróis, de LED em todas as versões, que agora tem integrados os piscas. Na traseira o X usado nas lanternas ficou mais evidente. Internamento, o Renegade recebeu novo volante (igual ao do Compass e do Commander) e na parte do painel do passageiro da frente há uma alça de apoio. O sistema de info-entretenimento tem tela de até 8,4” e trabalha sem fio com o Android Auto e Apple CarPlay. Há nicho para carregar celular por indução e, que ainda, recebe ar frio do ar condicionado para evitar superaquecimento no dispositivo. Para o motorista, a tela no painel tem 7” totalmente customizável contendo informações diversas como a de força G e pressão do turbo aplicada. Num Brasil de inflação em alta, a Jeep vai trabalhar com a entrega inicial de 11.500 carros em três lotes com a garantia de preço de lançamento. O primeiro de 4.500 unidades vai ser priorizado para aqueles que chegaram antes para ver um Renegade ainda da versão anterior e fizeram um pré-cadastro de compra para a versão atual. Esses serão trabalhados com data de faturamento entre fevereiro e março. O segundo lote, de 2.500 carros e que serão faturados entre março e abril incluirá o grupo de 1.000 compradores que vão receber uma plaquinha de identificação numerada dentro do kit de mimos. O terceiro lote e 4.500 carros será faturado até 30 de abril. Para aquelas vendas diretas, haverá um desconto de 8% e um bônus de R$ 10.000,00 no semi-novo usado como parte do pagamento.

 
 
Novo Jeep Renegade Trailhawk (1)