Visto de cima

O gavião no céu estava quase que pairado, muito provavelmente meio desconfiado com aquilo que passava ao seu lado. Se em um instante pensou em interceptar o inusitado, deu para perceber que desistiu. Vai que morde. É que bem pertinho, entre idas e vindas, estava um HorusMaptor Agro, drone em forma de asa voadora que é a ferramenta principal da Voavant, empresa de Americana (SP) que trabalha com levantamento de imagens e dados para monitoramento, mapeamento e identificação de áreas, principalmente de plantio. Dois dos três sócios, Gerson Zilio e José Roberto Arcaro Fº (Ricardo Magoga é o terceiro nome da sociedade),

Nada de falta por simulação

A situação é recorrente. Um piloto vê uma oportunidade de emprego e não a deixa escapar. Só que ávido em mostrar serviço, passa por cima de alguns critérios de segurança como o de conhecer a máquina que irá voar. Pouco lê o manual, não faz treinamento, não se habitua ao funcionamento da aeronave. Se de cara ele decola e pousa sem causar nenhum dano a si próprio ou à terceiros, o problema pode se agravar ainda mais. Na primeira oportunidade de pane, a pessoa se perde em erráticos procedimentos, esquece de voar e o resultado pode ser trágico.