Trabalho de luxo

Texto: Eduardo Baskertin

Fotos: Marcio Jumpei

Sempre entre as mais populares nas vendas entre as picapes, a Ford Ranger recebeu um discreta atualização. Dentre as oito versões que a Ford oferece aqui no Brasil, sendo uma de cabine simples e as restantes de cabine dupla, a Limited é um veículo muito apto ao trabalho pesado no campo e ao mesmo tempo com recursos e conforto de carro de luxo. A picape ganhou faróis de LED e as rodas são de 18” em cinza com acabamento diamantado. Entrando a cabine é digno de avaliação com notas altas. Os bancos são parcialmente revestidos em couro, material também usado no volante. O acabamento mesmo nas partes plásticas é bom. O painel vem com um grande elemento imitando alumínio onde repousa a tela do sistema multimídia com tela de 8” sensível ao tato e com comandos bem intuitivos. Ele trabalha tanto com Apple CarPlay como Android Auto mas ainda requer conexão com cabo o que compromete o uso de uma das duas tomadas USB que estão à disposição. O motorista tem duas telas de 4.2” configuráveis. A Ranger pode ser acessada pelo sistema FordPass que permite o acionamento e desligamento do motor de forma remota, como também o ar condicionado se ele estivesse ligado anteriormente. Dá para travar e destravar as portas, fazer rastreamento, agendamento de revisões, obter informações de estacionamentos próximos, postos de gasolina com preços, autonomia instantânea, pressão dos pneus e outras informações de funcionamento, caso acenda uma luz de alerta. De qualquer forma, a chave é presencial tanto para abrir as portas como para dar a partida no motor. Essa Ranger ganhou , mais que o piloto automático adaptativo, recursos como a de manutenção do veículo centralizado nas faixas de rodagem e alerta de colisão. Como diversos outros veículos, ele solta um alerta de checagem de pessoas ou algo esquecido no banco traseiro no momento em que se desliga o veículo e o motorista se prepara para sair. O banco do motorista tem ajuste elétrico com direito ao ajuste lombar. Há excelente espaço na cabine tanto para os ocupantes da parte frontal, com um console com descansa braço generoso e para os passageiros do banco de trás, o espaço para pernas é muito bom, sendo que a geometria do assentos e boa para longas viagens. Um conhecido, nos contou que até estava interessado no Bronco Sport, mas como ele e a família são de pessoas com corpanzil mais avantajado, ainda preferem a picape. Para ao motorista a visão externa de todos os lados é ótima, os retrovisores são grandes o suficientes para ter visão completa. Mas é claro, é preciso ter em mente que é um veículo com 5,354m de comprimento e 2,163m de largura contando os espelhos. Contudo, até que ele esterça bem, facilitando as manobras num estacionamento apertado de prédio. Andando o motor Duratorq diesel de cinco cilindros em linha, 3.2 com 200cv e 47,93kgf.m gerenciado por um câmbio automático de 6 marchas deu bastante conta do recado. Saindo da imobilidade ela chegou aos 100km/h em 11,3s o que é bem satisfatório para um veículo que pesa 2.269kg em ordem de marcha. Mas ela não foi feita para isso. O bom dela é ver a sua força de torque atuando. Inclusive é muito fácil, por meio de seletor, escolher o tipo de modo de tração, se apenas 4×2, 4×4 normal ou o 4×4 reduzido. A Ranger também vem com o sistema antoblocante e de auxílio de descida de rampa, que limita a velocidade a 5km/h. Terrenos íngremes com piso de terra remexida recentemente pelo trator foi fácil de ser traspassado. Na estrada, o peso e a suspensão feita mais para andar com a caçamba cheia, faz com que a Ranger rode naquele estilo bem americano, como se num colchão de ar. Mesmo em estrada de terra, o conforto é sublime. A 120km/h o motor está girando a 2.100rpm o que também auxilia para o menor ruído interno. Num trajeto composto por circuito urbano de 72,5km e mais 263,3km em estrada, simulando a Ranger cheia de gente a bordo, com cerca de 450kg, mas com a caçamba vazia, a média foi de 8,47km/l. Mas com o veículo vazio, em estrada a média foi bem melhor, 10,3km/l. Fica fácil percorrer 650 – 700km com um tanque, tendo ainda um pouco de reserva para chegar até o posto de combustíveis. Ela encareceu cerca de R$ 11 mil em relação ao que era pedido pela mesma versão em 2020, agora ela parte de R$ 279.990,00. Das concorrentes, a Chevrolet S10 CD 2.8 4×4 é a mais em conta valendo a partir de R$ 252,290,00, depois aparece a Nissan Frontier LE com motor de 190cv custa a partir de R$ 260.390,00, em seguida a Mitsubishi L200 Triton Sport de 190cv é oferecida por a partir de R$ 267.990,00, depois a Toyota Hilux topo de linha, com motor de 177hp sai por R$ 276.490 e uma Volkswagem Amarok Extreme V6 de 225cv sai por R$ 282.380,00. A Ranger junto com a Amarok são as duas com recursos, conforto e acabamento interno mais alinhado para quem deseja um ambiente de um grande sedã.

Onde achar:

Ford

www.ford.com.br

 

 

 
IMG_4201_tratada-baixa